sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Eu tenho um sonho

O povo americano já escolheu presidentes que se tornaram heróis nacionais e até internacionais, os nomes são inúmeros, desde George Washington, Thomas Jefferson, o grande Abraham Lincoln, Roosevelt, John Kennedy, Reagan, e por que não dizer, Bill Clinton. Políticos fascinantes que construíram o império americano sobre o mundo, mas em revés a isso, nem sempre o sufrágio decidiu pela opção mais positiva para os EUA. A unanimidade na escolha ingênua se vê em presidentes como os Bush’s, que só trouxeram ao país desastres militares e instabilidade econômica. Bem-aventuradas foram essas eleições de 2008, que deram um final merecidamente melancólico a uma política republicana antiquada, racista, ultraconservadora, idiossincrática absolutista, de incursões “anexadoras” fracassadas, e que vai sendo encerrada da pior maneira, um Estados Unidos com baixa credibilidade no cenário internacional, perdendo valores no conceito público, e com a economia à beira da bancarrota, um Estado débil. É um fim desgraçado e lastimoso para os cowboys do oeste.

Do lado vitorioso da moeda, a mudança, a renovação, mas, outrossim, o enigma; Obama herdará uma ruma de problemas, entre eles, índices de desemprego nunca vistos antes naquele país, o poder soberano das instituições financeiras em xeque, afetado por uma crise econômica nascida no coração economia mundial. Também, será uma questão a ser resolvida por Barack, as tropas americanas entranhadas em guerras por ai a fora. Porém, o que parece mais incomodar o eleitor americano é a ameaça de perca do status de: “país da independência”, bordão que já exauriu esse preceito há alguns séculos. Semelhante a uma produção dramática do cinema americano, a “salvação” vem de maneira contraditória, do lugar que ninguém esperava, ela vem do menor estado, vem do Havaí, uma minúscula ilha do Pacífico, para livrar da ruína os gigantes de Manhattan e companhia. Eleger um negro para a presidência representa um ‘sim’ para a democracia, também, denota a resposta positiva do soberano povo americano, que finalmente “caiu na real”, e pôde escolher no momento mais alarmante da sua história justificar a fama de povo independente; endireitou os seus caminhos, e optou pela mudança, substituiu aquilo que os vinha consumindo por aquilo que irá renová-los. As feridas do 11 de setembro já estão saradas, feridas que por vingança ou por medo, fizeram os americanos reelegerem G. Bush, mas o período das trevas é chegado ao fim. Metaforicamente, Obama simboliza o Sul escravista de joelhos pelo perdão ao negro escravizado, com já disse outro, Obama é preto, liberal, tem nome de muçulmano, Obama é tudo que a América nunca quis e que parece querer agora. O próprio Obama disse que consertar os erros de 8 anos de uma gestão catastrófica não será fácil e nem rápido, porém, com a força e grandeza do país e do povo americano, os Eua agarrarão com unhas e dentes o posto de nação número um. Será uma grande virada, gloriosa; voltarão a razão e a inteligência, que foram escorraçadas da América nos últimos anos.

15 comentários:

Nacir Sales disse...

Neto Morais,
O Critica Tudo foi objeto de indicação e comentário no post semanal DOMINGO É DIA DE BLOG publicado no Dr. Negociação.
Espero que gostem.
http://www.adequacao.com.br/blog

Estamos realizando um teste de duas perguntas para prova de que a crise não existe no grau badalado pela mídia. São só duas perguntas para demonstrar que os leitores se converteram em Consumidores da Crise. Teste aqui também! Queremos provocar uma anti-contaminação viral na blogosfera. Conto com vocês!

Gúh! disse...

eu tenho medo que o obama não segure a peteca *--*


mas tenho esperanças

Popoka disse...

Gúh! essa Peteca é bem pessada kpskskps..

Jacopeba disse...

É....
Parabéns para o Obama......
Mas não entendo esse estardalhaço que a mídia toda causa.....
A mídia "babou ovo" dos eua cobrindo a eleição como se fosse eleição do brasil.....
Só pq tem posto de maior potência....
Fazer o que....
Mas fico feliz por terem akbo com aquele preconceito do """país que muitos chamam de justo né...¬¬"
.......
abraços.......

Wander Veroni disse...

Oi, Neto!

Torço para que o Obama consiga melhorar a relação internacional dos EUA com o mundo. Se ele já fizer isso, já é meio caminho andado...hehehe.

Abraço,

=]

-------------------
http://cafecomnoticias.blogspot.com

PequenAprendiz disse...

Fizeram de Obama a figura de super herói, fato para uma nação que está cheia de problemas como tu bem descreveu.
Sorte pra ele, que consiga reverter esta crise.

http://pequen4prendiz.blogspot.com/

Crica Fonseca disse...

Olá,
Tudo bem?
Passei por aqui olhando os
blogs divulgados pelo orkut.
Muito bom seu tabalho!!!
Voltarei sempre, ok?
Tenha uma ótima
semana,
Crica

Márcio Daniel Ramos disse...

Obama é melhor que Kenedy. ele é estudou em Harvard, é doutor em Ciência Política em Columbia, ele tambem é mais velho que Kenedy. se ele não for assacinado será um ótimo presidente. tambem não gostei da cobertura exagerada da imprensa.

Diagrama Blogspot disse...

So espero que o governo dele nao seja um total catastrofe para a economia, como alguns dizem.

Anônimo disse...

Obama é melhor que Kenedy. ele é estudou em Harvard, é doutor em Ciência Política em Columbia, ele tambem é mais velho que Kenedy. se ele não for assacinado será um ótimo presidente. tambem não gostei da cobertura exagerada da imprensa. [2]

Marcelo disse...

Boa sorte Obama!!

Marcelo disse...

Boa sorte Obama!!

vitalves disse...

A diferença de Obama pra Ozama parece ser pouca. (rsrsrs)
Vâmo ver no que que dar...

David Sampaio disse...

É... infelizmente Obama não é um Martin Luther King.

Mas esperamos que esse espírito de verdade que King tinha dentro do seu coração, prevaleça no novo governo americano.


http://arvoreando.blogspot.com/

Diego disse...

Hummm isoo vai gerar GRANDE repercussão..