sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Balanço final

Considerada essa uma das melhores temporadas de futebol na historia desse esporte no Brasil; em 2008 não faltaram emoção, vibração e nem gols, muitos gols, mas está chegando ao fim, contudo, mesmo com números estatísticos lucrativos e entusiasmantes, em termos gerais não podemos afirmar que esse tenha sido um ano ímpar nem dentro e tampouco fora do campo de jogo. Os erros e camaradagens de toda a vida futebolística brasileira continuam embaraçando e desafiando o brio do esporte mais praticado aqui, a maldição do dirigente-ditador-amador ainda persiste em alguns clubes, os quais estão em situação nada animadora com relação à estrutura física e material humano. Ainda no ambiente externo aos gramados, o órgão disciplinador do desporto no país também se apresenta ostensivamente incôngruo e desaprumado, largamente criticado por absolvições inaceitáveis, em outras vezes por punições exageradas, está sempre no foco da polemica, não obstante disso tem poder limitadíssimo, qualquer ação por mais fervorosa que seja em diversas ocasiões e restringida por simples liminares, armistícios, etc. e tal. O famigerado efeito suspensivo é outro dos males do STJD, causou grande furor em julgamentos de jogadores importantes, que acabaram isentados da pena. Ainda fora de campo, a imprensa esportiva continua a mesma, senão pior, o jornalismo bairrista recheado de interesses subsiste vulgarmente; o desaparecimento da mídia de jornalistas com credibilidade, em revés com aparecimento de crápulas libertinos sem instrução moral é um fato a lamentar e a colocar no altar da decadência da mídia –marqueteira-esportiva brasileira. Exportar jogadores brasileiros nunca foi um negócio tão rentável como nos últimos anos. Em 2007 a venda de atletas para o exterior bateu recorde, atingindo a marca de US$ 222,6 milhões. A balança comercial do futebol em 2008 apresentou um sutil equilíbrio, isso graças a um fenômeno inédito, a grande invasão de jogadores estrangeiros, sul-americanos, principalmente argentinos, chilenos, mas não há exceção, tivemos bolivianos, paraguaios, uruguaios, colombianos, todos aos montes, estamos mais atrativos ou estamos produzindo menos talentos? Talvez sejam a combinação desses dois fatores, aliado a grande “fuga de cérebros” talentosos para países sem expressão no futebol mundial, arábias, EUA, leste europeu, etc.. Craques no nosso país só se estiverem em recuperação ou em fim de carreira; a nova moda é declarar amor a um clube antes de ser transferido para o exterior e dizer que um dia deseja voltar a esse clube. 

O estatuto do torcedor consolida-se como uma lei que não pegou, e mais, transformou-se num desrespeito, pois, a partir do momento que não há o cumprimento do estabelecido, o principal interessado sai lesado, ofendido, prejudicado com a falta de responsabilidade dos administradores dos clubes e federações. Nas arquibancadas a festa da torcida continua sendo um espetáculo à parte, em alguns estádios as famílias voltaram a freqüentar os jogos, embora isso não seja uma constante. Entretanto, as brigas entre torcidas organizadas estão cada vez mais se aperfeiçoando, agora os torcedores brigões marcam pela internet o lugar do embate, a falta de segurança e um elemento crucial na investida pela paz no futebol, e não só em tempos de Copa do Mundo. Esse ano a arrecadação foi algo estonteante, o total no Campeonato brasileiro gira em torno de R$ 95.770.022,35. Os cinco primeiros colocados do Campeonato brasileiro detêm os recordes de publico e arrecadação. São Paulo, Grêmio, Palmeiras, Cruzeiro e Flamengo, juntos, tiveram lucro liquido de 46.024.160 milhões, e tiveram o apoio de 2.514.481 milhões de torcedores. Dentro dos gramados, imperfeitos, cheios de buracos, o jogo em si desenvolveu-se ala o basquete americano, times retrancados, jogando em contra-ataque, sem criatividade no meio campo, falta de habilidade, futebol-força, são os novos tons do futebol pentacampeão do mundo, um futebol enlatado. Dificilmente se vê lances geniais, dribles, o que aparenta é que os jogadores são desencorajados a fazer tais jogadas. A prática costumeira da troca excessiva de técnicos não desapareceu da cultura gestora-administrativa, se vê nesse entorno que inexiste qualquer tipo de plano de trabalho para o técnico. A arbitragem foi um ponto a ser destacada nessa temporada, repleta de altos e baixos, e nunca antes tão questionada; muitos times prejudicados, outros favorecidos, por exemplo, o líder São Paulo, segundo o site Globo Esporte, favorecido 12 vezes pela arbitragem. Definitivamente, um problema insanável e que merece ser observado a “olho cru” pela CBF. Os votos que ficam para 2009 é o de voltarmos a ter o futebol singular que tínhamos, mas que foi se esvaindo ao longo dos anos. Esperar que as administrações melhorem é uma peleja preferível de não enfrentar por enquanto, não adianta nos enchermos de expectativa. Mas, enfim, devolvam o nosso futebol.

14 comentários:

Leo Pinheiro disse...

O Senhor Ricardo Teixeira foi (foi, do verbo não é mais) um mal necessário ao futebol brasileiro - Tal qual o Nuzman.

O problema é que ninguém tem coragem de confrontá-los.

Ambos são cânceres do esporte nacional. Fato. A responsabilidade em primeira e última instância é deles. Abç

Visite o meu blog. Hj uma homenagem ao Romário! kkk

Marcio Santos disse...

Pena que a arbitragem fez de tudo pro sao paulo ser campeao


http://paginadacomedia.blogspot.com

Noticias reais e curiosas, todas verdadeiras e com fonte.

-----------------------------------------
parceria?
marciosc1986@hotmail.com
Vamos ajudar a aumentar nossos ganhos, clicando nos adsenses de nossos blogs parceiros!

Márcio Daniel Ramos disse...

de maneira geral, ocampeonato foi bom, espero que o Gremio seja campeão e o Flamengo vá para a Libertadores...

Sam disse...

dhsadhaso

eu to com o gremio nesse campeonato

nao qro os bambi denovo

mais concordo q o campeonato foi disputado

www.absurdascoisas.blogspot.com

comenta la velhoo

Marcio Santos disse...

Pasand de novo...rs
show cara

ja li o texto anteriormente!
atualize sempre!

http://www.paginadacomedia.blogspot.com/

Homenzinho de Barba Mal feita disse...

Concordo com sua visão, o futebol brasileiro ainda não se profissionalizou. A imprensa é bairrista, o STJD é duvidoso e os cartolas, fazem o que querem com os clubes-empresa.


http://hdebarbamalfeita.blogspot.com/

Felipe disse...

Esse campeonato foi roubado mesmo, favoreceram o sao paulo muitas vezes.

José Ewertton (Vevé) disse...

O futebol brasileiro da ginga e do drible ja se acabou a bastante tempo. Hoje prevalece o futebol forca.

Pedrão disse...

HEXA!!

Anônimo disse...

Vasco X Campinense

Andrea Vaz disse...

Bom texto. Não entendo muito de futebol, mas é claro que erros existem. O detalhe é q rola uma grana preta.


Sorte sempre!

André disse...

boa sorte...futuro promissor devido a qualidade do texto...
vida longa...
www.blogdaincerteza.blogspot.com

vivoverde disse...

Háaaaa muitíssimo obrigada pela visita em meu blog ^^

como é q tu achou ele rapaz eheheh

Gostei deste seu blog aqui ... mó cheui de selos em? que chique ahuahuaha

abraços e sucesso :D

Wander Veroni disse...

Esse ano foi o das polêmicas e dos acontecimentos...hehehe...só do Ronaldo ter voltado ao futebol brasileiro, gordo e fora de forma, ganhando um baba, já é pitoresco.
Adorei a sua análise.

Abraço,

=]

-------------------
http://cafecomnoticias.blogspot.com